O Hobbit – Trilogia

Gostou? Compartilhe nas redes sociais e com os amigos!!😀😜💓💁

O Hobbit (no original em inglês: The Hobbit) é uma série de três filmes de fantasia épica e de aventura dirigido, coescrito e produzido por Peter Jackson e baseado no livro The Hobbit de J. R. R. Tolkien publicado em 1937. Os filmes são, por subtítulo: Uma Jornada Inesperada (2012), A Desolação de Smaug (2013) e A Batalha dos Cinco Exércitos (2014). O Senhor dos Anéis é originalmente uma sequência do livro, assim, a série age como uma prequela para a trilogia dos filmes, também dirigidos por Jackson.

Vários atores reprisaram seus papéis de O Senhor dos Anéis, incluindo Ian McKellen, Andy Serkis, Ian Holm, Hugo Weaving, e os atores cujos personagens não aparecem no livro, como Cate Blanchett, Christopher Lee, Elijah Wood e Orlando Bloom. Também retornando para a produção, entre outros, foram corroteiristas Fran Walsh e Philippa Boyens, ilustradores John Howe e Alan Lee, diretor de arte Dan Hennah, diretor de fotografia Andrew Lesnie e o compositor Howard Shore.[1] Alguns adereços foram trabalhados pela Weta Workshop e efeitos visuais, produzidos pela Weta Digital, como na trilogia original. O novo envolvimento mais significativo na série é a participação de Guillermo del Toro, originalmente escolhido para dirigir os filmes, mas foi como corroteirista que ele foi creditado.

Situado no mundo ficcional da Terra Média, os três filmes seguem o hobbit Bilbo Baggins (Martin Freeman), chamado pelo mago Gandalf (Ian McKellen), para acompanhar treze anões liderados por Thorin II (Richard Armitage) em uma missão até a Montanha Solitária, onde tentarão recuperar os pertences dos anões que foram roubados pelo dragão Smaug (Benedict Cumberbatch). É nessa aventura que Bilbo encontra o Um Anel que desencadeia a trilogia O Senhor dos Anéis.

O primeiro filme da série estreou no Embassy Theatre, em Wellington, Nova Zelândia em 28 de novembro de 2012 e arrecadou $ 1.017.003.568 de dólares ao redor do mundo. Apesar do sucesso financeiro, a trilogia não alcançou a mesma aclamação de crítica e prêmios da sua antecessora, não vencendo nenhum Oscar, diferente do O Senhor dos Anéis que venceu 17 prêmios da Academia.